Aumento das construções em WOOD FRAME na Europa!

 

Cada vez mais existem notícias positivas sobre o crescimento da fatia de mercado que as construções em madeira têm ganhado em todo o mundo, mas de forma mais acentuada na Europa, onde o wood frame industrializado tem crescido a grande velocidade. Vários são os factores para isso, entre eles o melhor desempenho térmico, o aumento da eficiência dos métodos de produção e construção e o ganho para o meio ambiente em substituir os materiais de construção convencionais por madeira.

 

De forma geral, esses três factores somados resultam em uma contribuição muito maior para a sustentabilidade do planeta, pois as edificações são construídas com materiais renováveis, não poluentes e que sequestram carbono, com pouco desperdício de material e de mão de obra, gerando poucos resíduos. Além disso, a eficiência térmica permite a redução do consumo de energia para a manutenção das temperaturas confortáveis na edificação, seja no verão ou no inverno, atingindo os requisitos das chamadas casas “Passivas”, nas quais o consumo de energia para a subsistência da casa é da ordem de até 15 kWh/(m²a), enquanto as construções convencionais consomem de 200 a 400 kWh/(m²a).

 

Com esse desempenho, a Europa mostra em números que construir com madeira é uma realidade. Na Inglaterra, por exemplo, em 1998 as construções residenciais em madeira representavam apenas 2% das construções novas. Em 2007, eram 15% e, em 2017, 27%.

 

Na Alemanha, Áustria e Suíça, países que desenvolveram intensamente as tecnologias de industrialização das construções em madeira nos últimos 30 anos, as construções em madeira atingem patamares próximos a 35%. Até mesmo países com pouca tradição nas construções em madeira, como Portugal e Espanha, actualmente apresentam fortes movimentos nesse sentido, aplicando as mais modernas técnicas de fabricação e montagem de edifícios em madeira.

 

Não resta dúvida de que esta não é só uma tendência, é uma evolução significativa dos métodos de construção.